Como ocorre a gravidez?

Home / Como ocorre a gravidez?

 

Nas mulheres com ciclos menstruais regulares (que mestruam regularmente) a ovulação, ou seja, liberação do óvulo pelo ovário ocorre aproximadamente no 14º dia. Quanto mais próximo da evolução, maior o risco de engravidar. Porém, a evolução pode acontecer em períodos diferentes a cada mês e em mulheres com o ciclo irregular é difícil prever a data correta da ovulação.

 

Como detectar a gravidez?

 

Existem vários exames oferecidos pelo mercado como testes de farmácia, porém, o exame mais indicado é o Beta HCG, realizado com coleta de sangue e feito em laboratório.

 

Quais são os principais sintomas da gravidez?

 

Vários sintomas podem sugerir uma gravidez. O principal é a ausência da menstruação. A mulher gravida também pode sentir enjôo, tontura, dores de cabeça, inchaço e aumento de sensibilidade nos seios.

 

O que devo fazer quando descubro que engravidei?

 

A primeira decisão deve ser procurar um médico para iniciar o pré-natal, ele vai orientar a gestante quanto aos procedimentos necessários durante a gravidez. O acompanhamento com o ginecologista obstetra deve durar do inicio da gravidez até o fim para garantir a saúde da mãe e da criança.

 

Pré-natal

 

Pré-natal é o acompanhamento médico realizado durante o período gestacional. A realização do pré-natal é muito importante, pois possibilita o acompanhamento da gravidez pelo médico que orienta a futura mamãe quanto aos cuidados com a alimentação, saúde e realização de exames.

O pré-natal deve ser iniciado assim que a gravidez da mulher é confirmada para que sejam realizados os exames necessários, tais como:

  • Hemograma;
  • Glicemia;
  • Tipo sanguíneo;
  • Urina;
  • Papanicolaou;
  • Sorologia para detectar ou não toxoplasmose e rubéola;
  • Avaliação de infecções para detectar ou não sífilis, hepatite B, AIDS.

 

Tipos de parto

 

Existem vários tipos de parto, porém, cabe ao médico em conjunto com a mãe decidirem qual é o melhor para o bebê. O parto mais indicado pelos médicos é o parto normal por oforecer ínúmeros benefícios para mãe e filho dentre eles: recuperação rápida, redução do risco de infecções e aumento do vínculo afetivo entre os dois.

Em alguns casos é necessário a realização da cesariana que consiste em um corte realizado no abdômen até o útero de onde é retirado o bbê. No caso da cesariana, a recuperação é um pouco mais demorada e são necessários maiores cuidados.

 

Orientações da Maternidade Octaviano Neves

 

Alojamento Conjunto

 

Em obediência à norma (RDC - 36) determinada pela ANVISA, entra em vigor na Maternidade Octaviano Neves, a pratica de alojamento conjunto integral. Desta forma, não haverá mais o berçário para permanência dos recém-nascidos. Essa medidas tem o objetivo de valorizar o aconchego materno com a criança desde o nascimento.

 

Fique informada

 

  • Para a sua segurança a Maternidade possui cofre central e disponibiliza o mesmo sem custo para os pacientes.
  • A Maternidade disponibiliza sinal WIFI, verifique valores e condições de uso.

 

Dúvidas da Mamãe e do Papai

 

Banhos
 
A mãe pode dar mais de um banho por dia em seu bebê em dias mais quentes.
O melhor horário para o banho é próximo ao almoço, utilizando água morna.
Realize o banho usando sabonete neutro.

 

Umbigo

 

O coto do umbigo deve ser limpo diariamente, sempre após o banho e quanto é contaminado com urina ou fezes.
A limpeza não causa dor e é importante para evitar infecções no local.
Costuma cair até o final da segunda semana de vida. O umbigo deve ser limpo com álcool a 70%.
A presença de secreção amarelada com mau cheiro, purulenta no umbigo ou vermalhidão ao seu redor sugere infecção, neste caso procure atendimento médico.

 

Roupas

 
É importante que as roupas sejam lavadas com água e sabão neutro.
O bebê deve vestir roupas que estejam de acordo com a temperatura.
O exagero no agasalho pode provocar febre, assaduras e brotoejas na criança.

 

Amamentação

 

O leite materno é um alimento completo. Isso significa que até o 6 meses o bebê não precisa de nenhum outro alimento (chá, suco, água ou outro leite). A partir do 6 meses, a amamentação deve ser complementada com outros alimentos.

É importante que bebê continue sendo amamentado até os dois anos ou mais, para um melhor desenvolvimento da criança. Além disso, a amamentação fortalece o vínculo afetivo entre mãe e filho.

 

Regurgitação e "arroto"
 
A regurgitação pode ocorrer após as mamadas. Para evitar o risco de engasgos e aspiração (quando o leite retorno e vai para op pulmão).
Sempre que o bebê amamentar deixe-o mais elevado por um periodo de 15 minutos, não deite o bebê ou ofereça o banho nesse momento.
Nem sempre o bebê arrota, por isso não se preocupe se não ouvir o barulhinho.
É comum, nos primeiros quatro meses, o bebê vomitar ou regurgitar. Isso é resultado do retorno do conteúdo do estômago através do esôfago. A principal causa do refluxo é o excesso de ar engolido durante as mamadas.

 

Alimentação complementar

 

A partir do sexto mês de vida do bebê, é necessário oferecer alimentos como complemento a amamentação. Os alimentos devem ser oferecidos em forma pastosa, com pouca água ou como mingau.

As papinhas de frutas e legumes são as indicadas para bebês nesse período. Água e chás também devem ser oferecidos.



PRINCIPAIS DOENÇAS EM BEBÊS

 

Anemia

 

Quantidade reduzida de hemoglobinas no sangue. A hemoglobina é responsável pelo transporte de oxigênio para as células do corpo, sua alteração pode trazer riscos à saúde da criança. As causas da anemia são a alimentação pobre em ferro ou a perda de sangue causada por acidentes.

Como tratar: O tratamento pode ser uma alimentação mais adequada ou por meio de suplementos indicados pelo médico.

 

Alergias

 

Reações de hipersensibilidade por alguma substância conhecida como alergênico. Os mais comuns são pólen, pêlo animal, pó caseiro, penas, ácaros, substâncias químicas e vários alimentos.

Como tratar: o mais importante é identificar corretamente a causa da alergia e,em seguida, o médico prescreve um tratamento à base de anti-histamínicos ou injeções de medicação para desensibilização.

Um tipo de alergia muito comum em crianças é a de leite de vaca. Nesse caso o pediatra pode sugerir a substituição por outro tipo de leite.