Aleitamento Materno (amamentação)

Importância do aleitamento materno

Todos sabem a importância do aleitamento materno ao recém-nascido, mas vale reforçar algumas orientações e benefícios deste alimento aos bebês.

De acordo com o Ministério da Saúde, o leite materno é o único alimento que fornece nutrientes importantes para o desenvolvimento cerebral, que combate infecções, protege a criança contra bactérias e vírus, e evita diarreias. O recém-nascido alimentado apenas com o leite materno tende a ser recuperar de doenças com mais facilidade.

A orientação que nos primeiros seis meses de vida o bebê receba exclusivamente o leite materno com livre demanda, ou seja, de acordo com a necessidade da criança.

A Organização Mundial de Saúde orienta que após os seis meses de vida do bebê, sejam introduzidos novos alimentos como papinhas de frutas e de legumes – sem pausar a amamentação, que pode ser continuada até os dois anos de idade.

É importante que os pais busquem orientação dos pediatras sobre a introdução de alimentos para evitar o uso de produtos industrializados que contém alto índice calórico e podem levar a obesidade infantil e outras doenças.

Além da alimentação saudável e nutritiva, a criança e a mãe criam um forte laço afetivo, passando segurança e tranquilidade para o bebê. 

Benefícios para a mãe durante a amamentação

O contato pele a pele com o recém-nascido, aumenta o fluxo de ocitocina no corpo. Esse hormônio diminui o estresse e ansiedade, pois tem efeito calmante. As sugadas durante a mamada também colaboram para a liberação desse hormônio que contribui para contração do útero e redução de perda de sangue.  

Estudos comprovam que a amamentação também diminui os índices de câncer de ovário, fraturas por osteoporose, artrite reumatoide, recuperação de peso devido aumento do metabolismo na amamentação e recuperação da forma física.

O colostro

O colostro é o primeiro tipo de leite que a mamãe produz após o parto, é uma secreção líquida, às vezes amarelada ou esbranquiçada. Este leite leva em média dois dias e para descer após o parto.

Este leite contém grande quantidade de imunoglobulinas, essenciais para a imunidade do bebê, além de preparar o intestino com bactérias boas e desenvolver a flora intestinal do bebê. Ele tem baixo teor de gordura e por isso é fácil de digerir.

Após dois a quatro dias, o seu leite materno descerá e será possível notar os seus seios mais firmes e cheios e, em vez de colostro, vão produzir leite de transição, que é mais branco e cremoso.

Pega correta do bebê na mama

A pega correta do bebê durante a amamentação permitirá a alimentação e ganho de peso ao bebê, assim como evitará lesões na mama.

A mãe deve escolher um lugar que fique confortável para a amamentação e realizar a posição correta do bebê ao peito.

A boca do bebê fica bem aberta, com as bochechas arredondadas, seu queixo encosta na mama e o lábio inferior encontram-se voltado para fora (boca de peixe). Ao abocanhar uma boa parte da aréola, o bebê consegue colocar o seio mais profundamente na boca e, desta forma, o mamilo ficará ao fundo, na área em que o céu da boca já é mais macio. Posicionado desta forma, o bebê consegue fazer os movimentos ritmados com a língua contra a superfície, a fim de sugar o leite dos dutos.

A amamentação deverá ser indolor para a mãe. Em caso de desconforto ou dor, verifique o posicionamento correto do bebê.

Cuidados com as mamas

  • Durante a gestação, dê banho de sol nas mamas no horário antes das 10h e após as 16h por 15 minutos diariamente. 
  • Lave a mama apenas com água, sem esfregar.
  • Não passe produtos para hidratação nas mamas e aréola, pois o leite materno já tem a função para hidratar.
  • Se houver ressecamento durante a amamentação, após a mamada passe um pouco de leite na mama e espere secar para colocar o sutiã.
  • Em caso de empedramento da mama, coloque compressa de água fria para aliviar a dor e realize a ordenha, preferencialmente manual, até desaparecer os pontos doloridos.
  • Não precisa realizar a limpeza da mama antes das mamadas, a própria bactéria da superfície da mama ajudam a desenvolver o microbioma intestinal do bebê.
  • Realize a troca dos protetores de seios com frequência para evitar a umidade.  

Ordenha manual / Extração de leite / Armazenamento

Em alguns casos é orienta a extração do leite de forma manual ou com a ajuda de extrator. Em caso de dor, opte pela ordenha manual para evitar o aumento do incômodo na mama.

  • Prender os cabelos com touca ou lenço, retirar anéis, pulseiras e relógios, usar máscara descartável ou fralda sobre o nariz e a boca.
  • Lavar as mãos até o cotovelo com água e sabão, enxaguar bem, secar as mãos com toalha limpa ou papel toalha descartável.
  • Massagear as mamas, utilizando os dedos (indicador e médio), fazendo movimentos circulares na região da aréola e na mama inteira.
  • Posicionar o dedo polegar acima da aréola e o indicador abaixo. Pressionar a região areolar com movimento firme, aproximando os dedos e direcionando-os para o tórax, de forma intermitente (tipo “aperta-solta”), até o leite começar a fluir.
  • Desprezar os primeiros jatos de leite (0,5 a 1 ml).
  • Coletar o leite diretamente no frasco de vidro previamente esterilizado (ver em Como armazenar o leite ordenhado).
  • Para a coleta com a bomba tira-leite, o funil deve ser colocado com o mamilo bem centralizado, antes de iniciar o processo. A cada nova coleta, todas as partes da bomba devem ser higienizadas com água e sabão neutro e fervidas em água por 15 minutos.
  • Não utilizar bombas no caso de o mamilo estar machucado, dar preferência à coleta manual.

Armazenamento do leite ordenhado

  • Após ordenhar o leite, pode-se armazená-lo em frascos de vidro com tampa plástica.
  • Lavar o frasco e a tampa e ferver em água por quinze minutos, escorrer, colocar sobre um pano limpo com a boca para baixo e deixar secar sozinho.
  • Identificar o frasco com data e horário da coleta. A validade, na geladeira é de 12 horas. No freezer ou congelador, 15 dias.
  • Para evitar contaminação, armazenar longe dos alimentos e evitar colocar na porta da geladeira.
  • Descongelar em banho-maria morno, agitando o frasco até o leite amornar. Nunca descongelar em microondas.
  • O leite humano não pode ser fervido.

Acessório de auxílio do aleitamento materno

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, a maioria das mulheres podem amamentar seus filhos sem uso de qualquer dispositivo especial. Caso seja aderido algum modelo, é importante que seja realizado o acompanhamento por profissional de saúde até que não seja mais necessário o uso.

Conchas

Acessório no formato de concha, apresentando um orifício central para encaixar o mamilo. O material costuma ser à base de silicone. Mesmo sendo transparente, o leite que fica retido dentro da concha, juntamente ao calor e à umidade provocada pelo abafamento dela, pode levar ao surgimento de fungos e bactérias nos mamilos e contaminação do leite.

A concha de amamentação é indicada para problemas específicos e não para todas as mães que pretendem amamentar no peito.

Acessório modelo "concha"

Bicos de Silicone

O bico de silicone ou protetor de mamilo é um acessório feito de silicone bem fino e flexível, com formato parecido a um mamilo, com base aberta e larga e bico semelhante ao da mamadeira.

O seu uso deve ser a última alternativa e apenas quando indicada por um profissional em amamentação, pois a recomendação é de usar por tempo restrito.

Este acessório ajuda a proteger mamas rachadas, reduzindo a dor no momento da sucção, ou ainda pode auxiliar na formação do bico do peito materno para aquelas mães que tem bico plano ou invertido.

Suplementador

O suplementador é um dispositivo que permite dar uma nutrição suplementar com recipiente para armazenar leite materno (ou a fórmula infantil à base de leite de vaca) e um tubo fino (sonda), que deve ser fixado no seio da mãe. O suplementador evita o uso de bicos artificiais.

Pode ser uma excelente opção para mães com dificuldade na amamentação. A sucção ao seio estimula as mamas a aumentar a produção láctea. 

Toda a mãe que usa o suplementador com seu bebê deve ter um acompanhamento constante, até a suspensão do uso do suplementador que deve ser programado e gradativo.

Estimulação do mamilo

Existem técnicas que auxiliam as mulheres com bico do peito plano ou invertido para dar aos seus mamilos uma forma mais fácil do bebê agarrar.

  • estimular o mamilo com o dedo polegar e o indicador para esforçá-lo a sobressair.
  • apertar a mama atrás da aréola, com os dedos em forma de “V” ou “C,” para puxar o mamilo para fora.
  • colocar compressa fria ou um cubo de gelo, para o mamilo ficar ereto.
  • extrair leite, manualmente ou com um extrator de leite, alguns minutos antes de uma sessão de amamentação.

Agosto dourado

Em 2017 foi sancionada a Lei nº 13.435, que institui o mês de agosto como o Mês do Aleitamento Materno. A medida estabelece a realização de ações para conscientização da importância do aleitamento materno.

Por que a cor dourada para esse movimento?

Fonte:

Câmara dos Deputados, https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2017/lei-13435-12-abril-2017-784611-publicacaooriginal-152356-pl.html

Prefeitura de Araras – SP, https://araras.sp.gov.br/noticias/21916

Cartilha de amamentação da Santa Casa – SP, https://www.santacasasp.org.br/portal/site/pub/12736/cartilha-de-amamentacao#:~:text=Na%20pega%20correta%20a%2C%20boca,encontra%2Dse%20voltado%20para%20fora

Saúde Brasil, https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/a-importancia-do-leite-materno-nos-primeiros-seis-meses-da-crianca

Sociedade Brasileira de Pediatria, https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/testenutricao/acessorios-que-auxiliam-no-aleitamento-materno/